GRUPO DE AJUDA

SATPLAY

BTV BOX

VISION SAT

MAXFLY

TOCOMSAT

HIGHTV

GLOBALSAT

ARTCOM SAT

AZBOX

SKYSAT

NILTON CS

CS SAT BRASIL

TELE CS

FUSION CS

100 MELHORES

CHICO CS

CS TIAGO PIRES

CANAL IDEVICE ARENA

SUPERTV

RECEBA ATUALIZAÇÕES POR EMAIL

RECEBA ATUALIZAÇÕES POR EMAIL:

EQUIPE / AZDIGITALTV.COM

TV PRÉ-PAGA VOLTA COM TUDO DURANTE A CRISE NO BRASIL - 13/10/16

17:35:00 |

TV PRÉ-PAGA VOLTA COM TUDO DURANTE A CRISE NO BRASIL - 13/10/16

Resultado de imagem para TV PRÉ-PAGA


 A proposta de utilizar a TV por assinatura pré-paga não é exatamente nova – a Sky Brasil já oferece o serviço desde pelo menos julho de 2008 -, mas o modelo de negócios parece ser uma nova tendência nesse período de crise, conforme foi observado durante painel com operadoras no último dia da ABTA 2016 nesta sexta, 1º. A Oi anunciou durante o evento o lançamento do seu produto, e outras empresas, como a Algar Telecom, mostram interesse nesse tipo de oferta. Para outras, como a América Móvil, maior empresa em número de clientes, contudo, é apenas uma alternativa, como o vídeo on-demand, mas não uma estratégia prioritária.

Pode-se tentar ambos. A Algar Telecom pretende lançar até o final do ano uma oferta de TV pré-paga e um novo produto digital de vídeo on-demand. "A gente está estudando há um bom tempo", disse o diretor de digital da Algar Telecom, Rodrigo Wegmann. A operadora mineira espera poder não apenas dar uma porta de entrada para a TV paga ao usuário, mas também que o produto ajude na aquisição de novos clientes, algo que para uma empresa pequena é mais crítico. "O pré-pago é, sem sombra de dúvida, uma grande solução para a gente reduzir o impacto no custo de aquisição de cliente", declara.

Wegmann explica que a Algar está se estruturando, olhando os modelos de negócio e conversando com parceiras e provedores de conteúdo para finalizar os acordos e preparar o lançamento. "Não é simples, a correlação de custos para gente que é pequeno é muito traumática", justifica. De toda a forma, ele diz que a oferta deverá ser apresentada no final deste ano.

Também ainda em 2016 a empresa pretende lançar uma solução digital, ainda não finalizada. O executivo explica que é uma solução de acordo com o mercado. Wegmann acredita que serviços over-the-top (OTTs) podem ser "aceleradores da TV", e não substitutos. Por isso mesmo, a empresa estuda oferecer a alternativa. "Estamos vendo alternativas interessantes com valores diferentes para fazer escada da adoção e, dentro dela na TV por assinatura como conhecemos hoje, ter posicionados produtos pré-pagos e OTT", disse ele durante debate na ABTA 2016.  Seria um produto inicialmente de VOD, mas com possibilidade de, com o tempo, oferecer também canais lineares.

Outro caminho que a Algar poderia trilhar por conta de sua recente expansão de rede ótica e ofertas de banda larga é o do IPTV, assunto pouco falado durante o congresso deste ano. Para Rodrigo Wegmann, o IPTV e o OTT são produtos que podem se confundir em algum momento, mas ainda não há planos específicos. "Hoje a Algar está com uma rede muito bem estruturada, temos base significativa de clientes que já consomem banda larga de alta velocidade, então a gente entende que, se vai ser em IPTV ou serviço linear com garantia de rede que a gente pode dar, é indiferente do ponto de vista tecnológico", conclui.

Visões antagônicas

O diretor de inovação digital da Oi, Ariel Dascal, declarou durante o debate que acredita no modelo pré-pago da TV como uma oportunidade, uma vez que a classe C "não está disposta a se comprometer com custo recorrente, e quando tem dinheiro, ela gasta". Ele ressalta que a indústria ainda não tem um modelo de negócios preparado para isso, inclusive nas negociações com programadores. Além disso, há o ônus para o cliente, que precisa pagar a instalação e o aparelho, o que é uma "mega barreira de entrada". Dascal explica que a Oi estuda acertar formas de financiar o decoder para o assinante. "Mas é oportunidade mais periférica, não é estrutural", adiciona.

Nem todo mundo concorda, porém. "A gente entende que pré-pago é um modelo diferente, não acho que vai resolver o problema da população que não tem como pagar e nem a equação econômica de outras operadoras", opina o diretor executivo de estratégia e operação da América Móvil Brasil, Rodrigo Marques. Cita que negociações com fornecedores permanecem as mesmas, e que, mesmo com acordo com programadores, o modelo de negócios atingiria apenas um pedaço da operação. A companhia conta com um produto de TV pré-paga, mas Marques afirma que a empresa não foca na solução pois a considera como "complemento de oferta".



Gostou da postagem ? Foi ajudado ? Então ajude nosso blog a continuar crescendo e siga  nas redes sociais abaixo . Obrigado.

CADASTRE E RECEBA ATUALIZAÇÕES EM SEU EMAIL !!!:


CADASTRE E VERIFIQUE NA LIXEIRA DE SEU EMAIL !!

0 comentários:

Postar um comentário